Reduzindo o consumo de água nas empresas – Parte 1

São cada vez mais assustadoras as projeções realizadas acerca da disponibilidade de água para as pessoas no planeta no futuro. E não se trata de um futuro assim tão distante. Segundo a sociedade 2030 Water Resources Group, a demanda por água em todo o planeta será 30% maior do que a disponibilidade desse recurso em 2030. Além disso, segundo a fundação SOS Mata Atlântica, aproximadamente 70% da água produzida no Brasil é desperdiçada.

Diante desse cenário perturbador, é primordial que cada cidadão tome medidas para reduzir o consumo de água e torná-lo mais consciente, em suas próprias casas. No entanto, é preciso nos lembrarmos de que muita gente passa boa parte de seu tempo no trabalho. Isso automaticamente significa maiores gastos com água e energia nas empresas. Assim, esses estabelecimentos também devem implementar medidas que reduzam ou otimizem o aproveitamento deste recurso. Confira algumas possibilidades:

Banheiros

Uma medida simples, que permite que os investimentos sejam rapidamente recuperados, é a instalação de torneiras de pressão, que, segundo a Sabesp, geram economia de 20% em relação aos modelos convencionais. Também há outras possibilidades disponíveis, como as torneiras com sensores, além dos redutores e arejadores de vazão – que podem gerar economia de até 75%.

Outra medida importante é a instalação de descargas de duplo acionamento, que controlam a quantidade de água a ser liberada para dejetos líquidos e para dejetos sólidos. Bacias que armazenam menos água também podem ser úteis nesse sentido. Válvulas automáticas e sensores nos mictórios também podem ser boas ideias, já que promovem economia de até 50%.

Hidrômetros

Nos prédios mais antigos, é comum a existência de hidrômetros coletivos, de modo que seja medido o consumo de água em todo o edifício e depois seja realizada uma divisão do valor entre os condôminos. Esse tipo de sistema não permite que cada condômino tenha noção de seu consumo de água individualizado. Por isso, a instalação de hidrômetros separados por empresa permite que seus proprietários saibam mais sobre seus gastos e, com essa noção, sejam mais estimulados a reduzir o consumo. Pesquisas aponta que essa estratégia possa reduzir o consumo em até 20%.

Vazamentos e infiltrações

Também é essencial estar atento aos hidrômetros, pois valores alterados podem indicar a existência de vazamentos e possíveis infiltrações. Uma torneira pingando pode significar o desperdício de até 16 mil litros de água por ano. Um furo do tamanho da cabeça de um alfinete em uma tubulação pode desperdiçar até 3200 litros de água por dia. Por isso, é importante que os funcionários comuniquem qualquer sinal de vazamento ou infiltração, ou que a empresa contrate os serviços de caça-vazamentos para solucionar os problemas o quanto antes.

By | 2018-12-11T15:25:47-02:00 dezembro 11th, 2018|Economia de Água para Condomínios Empresariais|